A origem da palavra “máfia” e como o Estado acabou com ela

Por:Instituto Liberal de Minas Gerais
Colunas

14

Jan 2018

Você conhece essa palavra, mas sabe seu verdadeiro significado?

A origem da organização da máfia é incerta, mas estudos apontam que ela surgiu no século IX, na Sicília, uma ilha que ocupa uma posição estratégica, no centro do Mar Mediterrâneo. Devido a isso, a ilha siciliana sempre foi uma ilha cobiçada por invasores estrangeiros. Por lá passaram os mais variados povos conquistadores: romanos, vândalos, ostrogodos, bizantinos, normandos, vikings e principalmente os árabes. Por isso as primeiras células de resistência surgiram para combater essa repressão política de déspotas que muitas vezes estavam situados na França, Noruega, Marrocos ou em outros lugares fora da ilha e quase sempre até fora da Itália.

Corrupção, banditismo e violência são coisas que passam na cabeça de qualquer um que ouve a palavra hoje, mas que certamente daria ojeriza naqueles que cunharam esse termo. A palavra “máfia” foi tirada da expressão “maffia” que vem do velho italiano da Sicília, que por sua vez tem origem árabe e quer dizer “orgulho/orgulhoso”. Os sicilianos aprofundaram o significado da palavra e em um dicionário siciliano de 1868 é listado como sinônimos de máfia “coragem, audácia, superioridade, vanglória”.

No início, essas organizações não eram violentas em tempos de paz, diferenciando-se assim das organizações de Nápoles e Calábria. Quando uma dessas células tornava-se violenta (o que aconteceu algumas vezes) as outras se uniam para eliminar o fruto podre.

Em 1922, quando Benito Mussolini assumia o cargo de primeiro-ministro da Itália, uma das suas primeiras grandes campanhas de repressão foi destruir essas células na Sicília que muitas vezes nutriam um sentimento separatista em relação ao resto do país, sentimento que era contra suas ideias nacionalistas.

A queda da moralidade da máfia está intrinsecamente ligada ao fascismo, já que o estado italiano usou da mídia para enfraquecer imagem das organizações e força policial para coibi-la.  Depois da queda de Mussolini, algo pior aconteceu. Muitos líderes do governo acabaram por fundar suas próprias famílias mafiosas no sul da Itália com o objetivo de lucrar a qualquer custo, criando novas organizações muito mais violentas e nada de acordo com as tradições da Sicília.

Embora alguns núcleos fossem violentos desde antes da ascensão e queda do fascismo, foi só depois que a máfia tornou-se o que é hoje: violenta e voltada apenas para fins monetários. Mesmo com todas as medidas estatais ela continua existindo em quase todo o sul italiano.

Do mafioso Don Michele Navarra a Don Salvatore Riina, os sicilianos aprenderam uma lição importante que o liberalismo explica bem: não existem problemas sociais que o estado não seja capaz de piorar muito.

_________

Sobre o Autor

Lucas Bellinello é Coordenador do Students For Liberty Brasil, dono do canal Sentinelas da Liberdade e apaixonado por séries, filmes e cultura Nerd.


Comente com o Facebook

Compartilhe:

contato@ilmg.org.br