Apresentando o Libertarianismo

Por:Yuri Dornelas
Colunas

14

May 2018

Apresentando o Libertarianismo – Indicações de Leituras

O libertarianismo é uma ideia que ganhou vários adeptos nos últimos anos no Brasil. Defini-lo não é uma tarefa realmente fácil, mas ele pode ser entendido como um sistema ético e por consequência uma filosofia política. Há muitos consensos entre os libertários sobre determinados assuntos e também divergências em relação a outros, mas pode-se concordar que a cerne do libertarianismo está na aceitação do Princípio da Não-Agressão (PNA). O PNA nada mais é do que a ideia de que nenhum homem, ou grupo de homens, pode cometer uma agressão contra a pessoa ou a propriedade de terceiros inocentes (“agressão” aqui é entendida como o uso, ou ameaça de uso, da força/violência física). Com outras palavras pode-se dizer que o libertarianismo é sobre respeitar a vida humana e jamais impor sua vontade sobre os demais. O PNA é a ideia básica da ética libertária e todas as demais conclusões da filosofia libertária são derivadas dessa única ideia central.

Historicamente o libertarianismo tem como base as ideias liberais que começaram com autores como John Locke, Adam Smith e os escolásticos de Salamanca. Os autores libertários pegaram as ideias liberais e as levaram as suas últimas consequências, as desenvolvendo e refinando ainda mais. Os principais nomes libertários são Murray Rothbard (1926-1995) e Hans-Hermann Hoppe (1949). Esses autores formularam o que se entende hoje em dia por libertarianismo, moldaram os fundamentos éticos dessa filosofia e trataram de suas consequências políticas, econômicas, culturais e morais.

Murray Rothbard (1926-1995)

 

Hans-Hermann Hoppe (1949)

Como referência, no diagrama de Nolan (diagrama que divide as orientações políticas em dois eixos, o de liberdade econômica e o de liberdade individual) o libertarianismo está situado no máximo dos dois eixos, divergindo da esquerda em relação à liberdade econômica e divergindo da direita em relação as liberdades individuais.

Representação do diagrama

 

Feita essa breve introdução, segue uma lista de recomendações de livros para os iniciantes no assunto.

A Lei – Frédéric Bastiat

 

O autor foi um economista e jornalista francês, que viveu durante a Primavera dos Povos de 1848 e escreveu a maioria das suas obras durante os anos que antecederam e sucederam as revoluções desse período. Apesar de não ser um libertário, Bastiat é um dos precursores do libertarianismo. No livro “A Lei”, o francês discute o que é a lei, qual é sua função e como ela foi pervertida pela sociedade. O livro apesar de ser o mais antigo dessa lista, é extremamente atual e ainda é curto, ideal para uma leitura rápida. “A Lei” pode ser acessada aqui.

 

 

 

A Mentalidade Anticapitalista – Ludwig von Mises

 

Nascido em 1881 no Império Austro-Húngaro, Ludwig von Mises foi um dos liberais que mais influenciou o libertarianismo. Ele foi mestre do pai do libertarianismo, Murray Rothbard, e um dos maiores expoentes da escola austríaca de economia.
Em “A Mentalidade Anticapitalista”, Mises discute as características sociais do capitalismo e as causas psicológicas de seu descrédito. O livro pode ser acessado aqui.

 

 

 

As Seis Lições – Ludwig von Mises

 

Esse é outro bom livro de Mises para se conhecer o libertarianismo. Esse livro contém a transcrição das palavras de Mises em conferências a alunos argentinos na Universidade de Buenos Aires na década de 50. Os assuntos tratados são principalmente: capitalismo, socialismo, inflação e investimento externo. O livro pode ser acessado aqui.

 

 

 

 

 

A Anatomia do Estado – Murray Rothbard

 

Murray Rothbard foi um economista e filósofo norte-americano, discípulo de Mises e também adepto da escola austríaca de economia. É um dos nomes mais importantes do libertarianismo.
Em “A Anatomia do Estado”, o autor escreve sobre as características do estado, o que ele é e como se perpetua. Assim como “A Lei”, o livro é pequeno, com menos de 50 páginas, e pode ser encontrado aqui.

 

 

 

O Caminho da Servidão – Friedrich Hayek

 

Outro discípulo de Mises foi Friedrich Hayek. Filósofo e economista seguidor da Escola Austríaca, foi o ganhador do Nobel de economia de 1974. No livro “O Caminho da Servidão”, Hayek discute a concentração de poder na mão de burocratas, como o coletivismo leva a supressão das liberdades individuais e como o planejamento central leva ao totalitarismo. O livro pode ser acessado aqui.

 

 

 

 

 

 

Economia Numa Única Lição – Henry Hazlitt

 

Para aqueles que tenham mais interesse nas ideias econômicas, “Economia Numa Única Lição” é um bom livro introdutório sobre a economia austríaca, da qual vários autores libertários são adeptos. O livro pode ser encontrado aqui.

 

 

 

 

 

 

Cântico – Ayn Rand

 

Se você gosta de romances, os livros da Ayn Rand são uma boa indicação. Nascida em 1905 na Rússia, Ayn Rand emigrou para os Estados Unidos em 1926, onde viveu até sua morte em 82. Ela foi uma romancista e filósofa que desenvolveu sua própria filosofia, chamada de objetivismo. Não era uma libertária, mas suas ideias possuem muitas semelhanças com o libertarianismo. Sua obra “Cântico” é um pequeno livro que conta a história de uma sociedade futura dominada pelas ideias coletivistas, na qual todas as expressões de individualismo foram suprimidas e as pessoas são totalmente submissas ao estado. O livro pode ser encontrado aqui.

Outros bons trabalhos da autora são “A Nascente” e sua obra mais famosa “A Revolta de Atlas”.

 

 

Esses são os livros que deixo como indicação como introdução ao libertarianismo. Eles são simples, diretos e em sua maioria pequenos, sendo perfeito para o contato inicial com as ideias libertárias. Caso deseja ir além, deixo aqui três recomendações que são essenciais para se entender o assunto: “Por uma nova liberdade – O Manifesto Libertário”, “A Ética da Liberdade” ambos de Murray Rothbard e “Democracia: o Deus que Falhou” do autor Hans-Hermann Hoppe, um dos maiores expoentes do libertarianismo e discípulo de Rothbard.

Caso você prefira vídeos à livros, deixo também como sugestão essa entrevista de 2015 no Roda Viva da ativista e cientista política Gloria Álvarez na qual ela fala sobre o libertarianismo e o populismo na América Latina. A entrevista tem pouco mais de uma hora e vale cada segundo. Deixo também dois canais brasileiros em atividade sobre o assunto no YouTube, que são: Ideias Radicais e Alexandre Porto.

Espero que com esse texto eu tenha conseguido direcionar materiais para quem queira aprender sobre o libertarianismo e instigado aqueles que não conheciam nada sobre o assunto a procurar saber sobre o que se trata.
“Ideias e somente ideias podem iluminar a escuridão” – Ludwig von Mises.

 

Sobre o autor

Yuri Dornelas  é graduando em Economia pela Universidade Federal de Juiz de Fora, ele também é e coordenador local do Students For Liberty Brasil. Libertário entusiasta da Escola Austríaca de Economia, Yuri Dornelas também aprecia o Objetivismo de AynRand.

 


Comente com o Facebook

Compartilhe:

contato@ilmg.org.br