Capitalismo para mim, socialismo para você

Socialismo para você, capitalismo para mim

Por:Leandro Marcondes
Colunas

12

Jul 2017

Capitalismo para mim, socialismo para você

Os maiores líderes da esquerda mundial sempre pregaram o socialismo como meio de resolver problemas como a fome e a desigualdade entre os homens. Os métodos utilizados sempre foram os mesmos. Os mais “moderados” suprimiram a atividade empreendedora, inflacionaram a moeda e aumentaram consideravelmente a carga tributária e os gastos públicos dos países. Os mais radicais foram além, estatizando toda a economia dos países e deixando todas as funções empreendedoras nas mãos do estado.

Na necessidade de apoio popular todos eles chegaram ao poder vendendo ao eleitor a ideia de governo grátis (quando chegaram por vias democráticas e não revolucionárias), onde todos teriam acesso a serviços como educação de qualidade, saúde digna e segurança eficiente sem custo algum para a população. No entanto, todos eles falharam na busca pela eliminação da pobreza. Pior do que isso, com o poder em suas mãos a pobreza agravou consideravelmente.

Como de costume, na ótica da esquerda mundial, o seu fracasso em trazer benefícios reais à população menos desfavorecida nunca foi culpa de seus governantes. Eles sempre foram alvos de alguma conspiração, seja dos banqueiros, dos Estados Unidos, da extrema-direita ou dos extraterrestres. Quanto a isso, é ingenuidade acreditar que essa afirmação é feita com sinceridade. Os bens intencionados pulam do barco antes dele afundar, apenas os que têm sede de poder continuam até o fim.

Enquanto a população vive uma vida de miséria, como é o caso da Venezuela atualmente, seus governantes “socialistas” não podem dizer a mesma coisa. Ao que parece, estes não abrem mão de uma vida cheia de excessos e consumismos exacerbados. Não era essa uma das críticas da maior parte deles? O problema do mundo não é o fato de alguns terem muito enquanto outros têm tão pouco? Socialistas como Nicolas Maduro parecem não concordar nenhum pouco com isso – ao menos fora do discurso popular.

Um artigo publicado pelo jornal O Globo nove meses após Maduro assumir o poder na Venezuela mostrava que o governante socialista gozava de uma quantia de 945 milhões de dólares para despesas pessoais. Isso mesmo , 945 milhões de DÓLARES. O mesmo artigo do Globo enfatizava que essa quantia representa 16 vezes o gasto da rainha Elizabeth II. Se colocarmos na balança o PIB da Venezuela em comparação com o Reino Unido, essa quantia fica ainda mais assustadora. São 2,85 trilhões do estado europeu contra 371,3 bilhões da Venezuela.[i]

O povo Venezuelano sofre com a falta generalizada de produtos. Essa escassez no mercado afeta principalmente produtos de higiene pessoal, medicamentos e alimentos em gerais. O único exemplo que o líder do país oferece a população é um gasto pessoal de 633 mil dólares mensais em bebidas e alimentos, totalizando uma quantia de mais de sete milhões por ano. E não para por aí. A Venezuela há algum tempo vem sofrendo com a escassez de papel higiênico, mas a crise não afeta seu presidente, que possui uma verba de U$$ 119,5 mil anuais para compra de produtos de higiene importados.

Enquanto o povo venezuelano passa fome, Maduro não monopoliza toda a mordomia existente no país apenas para si, sobra um pouquinho para os amigos do “rei”. Nos primeiros nove meses de governo, já numa crise que alastrava o país, Maduro manteve os 39 ministérios criados por Hugo Chávez e ainda criou 111 vice-ministérios. [ii]

Antes que alguém diga que se trata de um exemplo isolado, que tal falarmos um pouco do ícone reverenciado pela esquerda, onde sua imagem está estampada em camisetas usadas por diversos artistas de Hollywood e não pode faltar em um protesto da CUT. Falo de Che Guevara. Após a revolução cubana, Che Guevara escolheu uma mansão situada em Tarara, a menos de 30 km de Havana, para ser sua nova residência em Cuba. A mansão pertencia a um bem sucedido empreiteiro de Cuba, que após a revolução fugiu para os Estados Unidos.

 

Como era de se esperar de um socialista, a nova residência de Che Guevara não tinha nada de modesta e era considerada uma das casas mais luxuosas de Cuba. Possuía nada menos que um ancoradouro para iates, uma grande piscina, sete banheiros, uma sauna, uma sala de massagens e muitas salas de televisão, como relatado no livro, “O verdadeiro Che Guevara”, de Humberto Fontoya e publicado em português pela editora É Realizações.

Nem mesmo o líder da comunista Coréia do Norte escapa. Enquanto seu povo passa luta para ter o que comer, o ditador possui um patrimônio líquido de cinco bilhões de dólares em ativos e cerca de 200 contas bancárias localizadas em países como Áustria, Lichtenstein, Rússia, Cingapura, China, Suíça e Luxemburgo. [iii]

Ainda não podemos nos esquecer de líderes como Fidel Castro, que assim como seu colega de revolução, Che Guevara, não parecia gostar nem um pouco de uma vida como a de seus governados. Em 2005, a Forbes apontou o ditador Cubano como um dos homens mais ricos do mundo, com um patrimônio superior a um bilhão de reais. [iv]

O socialismo na prática é muito vantajoso para os governantes de esquerda, que gozam de uma qualidade de vida que causaria inveja em qualquer capitalista. Como dizia Ludwig Von Mises, a pior coisa que pode acontecer a um socialista é ter seu país governado por socialistas que não são seus amigos.

[i] https://oglobo.globo.com/mundo/presidencia-de-maduro-custa-us-25-milhoes-por-dia-11342792

[ii] https://oglobo.globo.com/mundo/presidencia-de-maduro-custa-us-25-milhoes-por-dia-11342792

[iii] https://www.celebritynetworth.com/richest-politicians/presidents/kim-jong-un-net-worth/

[iv] https://noticias.uol.com.br/ultnot/2006/05/05/ult27u55366.jhtm

The following two tabs change content below.

Leandro Marcondes

Graduando Engenharia de Produção pela FIP-MOC, voluntário em causas em defesa das liberdades individuais e econômicas. Cofundador do grupo de estudos liberais O Quinto.

Latest posts by Leandro Marcondes (see all)


Comente com o Facebook

Compartilhe:

contato@ilmg.org.br